A infraestrutura é mínima, os recursos policiais, duvidosos e sua segurança está em altíssimo risco.

Cidade grande, com infra para turistas, só essas duas.

O acordo está em vigor desde 7 de junho do ano corrente e pode ser acessado no endereço eletrônico Curta b) Cidadãs bielorrussas precisam de visto para viajar ao Brasil.

Atualmente, um visto de turista para cidadã(o) bielorrussa(o) custa cerca de 20 dólares c) Para a obtenção de vistos ou no controle das autoridades migratórias russas, bielorrussas ou brasileiras, não é necessária a apresentação de exames médicos, tampouco a apresentação de seguro de saúde internacional.

Normalmente, uma bela mulher, de falsa ou verdadeira identidade, após curto relacionamento por meio da Internet, demonstra interesse em visitar seu “amigo brasileiro”.

Seguem-se, então, pedidos de envio de recursos financeiros, supostamente destinados à compra de passagens aéreas; ao pagamento de taxas de visto; à comprovação de condição financeira para o sustento durante a permanência no Brasil, mediante apresentação de dinheiro, em espécie, às autoridades consulares brasileiras e policiais de imigração; ao custeio de exames médicos e de seguros de saúde internacionais para a obtenção dos vistos.

Em ambos os casos, o dinheiro, obviamente, some, levando com ele a russa bonita, inteligente e disponível.

Outra variante do golpe é o brasileiro incauto viaja sozinho, sem conhecimento da língua, para uma cidade láááá do interior, sendo ripado de todas as formas possíveis e imagináveis, perdendo uma boa grana e sendo largado à própria sorte.

– Leia o post no blog antigo sobre o tema e veja os comentários. E veja ainda quantas pessoas perguntam sobre pequenas cidades russas, onde elas ficam, se são seguras…

Imagine um alemão perguntando para você, um brasileiro, sobre a cidade de Gurupi.

Me diga, você saberia dizer para esse alemão, que conheceu uma mulher brasileira pela internet, onde fica Gurupi?